Home Geral Assembleia Legislativa inaugura Sala de Audiologia no Departamento de Saúde e Assistência...

Assembleia Legislativa inaugura Sala de Audiologia no Departamento de Saúde e Assistência Social

A Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), por meio da Célula de Fonoaudiologia do Departamento de Saúde e Assistência Social (DSAS), inaugurou, nesta sexta-feira, 08, a Sala de Audiologia, que vai realizar o atendimento de parlamentares, servidores, dependentes e comunidade do entorno. A solenidade foi conduzida pelo presidente da Alece, deputado Evandro Leitão (PDT), e contou com as presenças da primeira-dama do parlamento cearense Cristiane Leitão, do diretor do DSAS, Luís Edson Sales, da orientadora da Célula, fonoaudióloga Socorro Timbó, e de dirigentes de setores da Casa.

Evandro Leitão disse que a entrega da sala, mais um equipamento a serviço da comunidade, significa fazer a inclusão de pessoas que até então não são vistas pela sociedade. “Nós, da Assembleia Legislativa, temos o dever de estarmos acolhendo aqueles que mais precisam e o poder público ainda não consegue olhar”.

O presidente da Alece externou que as novas entregas são motivos de “orgulho e satisfação”. Segundo ele, os novos equipamentos se somam a outros. Conforme revelou, a Alece também aprovou na sessão de ontem, quinta-feira (07/11), o Estatuto da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA) , com o mesmo objetivo inclusivo. “Isso significa que as pessoas estão cada vez mais sendo acolhidas pelo Poder Público”.

Ele recordou que em 2021, quando a Alece aderiu ao Pacto Global da Organização das Nações Unidas, já havia a devida compreensão do significado do ato. “Naquele momento, além de estarmos olhando para a questão socioambiental, também tínhamos o olhar direcionado, sobretudo, para as pessoas. E olhar para as pessoas é dar assistência e ofertar serviços, como estamos fazendo aqui na Assembleia Legislativa, que tem hoje um portfólio de serviços apresentados à sociedade. Isso muito nos orgulha”.

Cristiane Leitão revelou que a inauguração da sala é fruto de três anos de estudos de viabilidade. “Estava dentro do planejamento a construção da sala de Audiologia para oferecer apoio ao nosso Centro Inclusivo de Atendimento para o Desenvolvimento Infantil (Ciadi), que atende crianças do espectro autista e com síndrome de Down”.

Para estas crianças e adolescentes, de acordo com a primeira-dama, é importante o atendimento precoce em relação à audição. “Também está incluso o trabalho de saúde auditiva para os servidores e população que vive no entorno da Casa. Este sonho está sendo realizado com a implantação desta Sala de Audiologia”.

Cristiane Leitão salientou que a presença da Audiologia nos serviços públicos ainda é “muito tímida. Segundo ela, estes equipamentos existem apenas no Núcleo de Atenção Médica Integrada (Nami), da Universidade de Fortaleza (Unifor) e no Hospital Geral de Fortaleza. “Nós precisamos ampliar estes serviços para toda a população. A Alece traz justamente esta abertura para as pessoas, para que elas realizem exames que verifiquem qualquer tipo de problema auditivo e, por meio desta nova sala de Audiologia, possam fazer uma reabilitação”.

Equipamentos

De acordo com a orientadora da Célula de Fonoaudiologia, Socorro Timbó, a nova sala “conta com equipamentos de ponta para realização de impedanciometria, audiometria e processamento auditivo central (PAC). “Os atendimentos começarão após o recesso, a princípio por meio de uma triagem com os servidores da Comunicação da Alece”, informou. Socorro complementa que, em seguida, o serviço será estendido aos demais servidores, a depender da demanda de um otorrinolaringologista.

Socorro Timbó, afirma que é preciso testar a audição de modo a preservá-la por mais tempo. “A boa notícia é que agora, em nossa Célula, serão disponibilizados exames de audiometria, impedanciometria e processamento auditivo central (PAC). Isto possibilitará o diagnóstico sobre o tipo e o grau de possíveis perdas auditivas, revelando se é necessário o uso de aparelho auditivo, e possibilitando um rastreamento do percurso sonoro, que identifica perdas no processo de aprendizagem de crianças e adolescentes”, explica.

A fonoaudióloga também alerta para a necessidade de um atendimento especializado, caso sejam percebidos sinais de perda auditiva. “Se você sente dificuldade em ouvir certos sons, escuta zumbidos constantes, apresenta tonturas e tem histórico de surdez na família, é essencial cuidar de sua saúde auditiva”, orienta. Socorro diz que, na presença desses sintomas, a pessoa deve passar por uma avaliação com o médico otorrinolaringologista e, se precisar realizar algum exame auditivo, a Célula de Fonoaudiologia estará à disposição.

Ela orienta ainda que conforme pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 28 milhões de brasileiros apresentam perda auditiva. Considerando esse cenário, observou-se a necessidade de uma Sala de Audiologia no Departamento.”A ideia foi, então, acolhida pela primeira-dama Cristiane Leitão, que não mediu esforços para desenvolver e concretizar esse projeto. Trata-se de uma sala completa, com amplo equipamento audiológico que possibilitará prevenir, evitar e até mesmo tratar perdas”, completou.

O dirigente do DSAS, Luís Edson Correia disse que a nova sala é de uma importância muito grande para o departamento e toda a Casa. “Pesquisei entre as assembleias de todo o país, e somos os primeiros a implantar este equipamento. Esta sala vai averiguar a acuidade auditiva. A gente sabe que com o passar dos anos as pessoas vão perdendo a capacidade de escuta e é necessária esta sala para que o profissional de fonoaudiologia realize com excelência o seu trabalho.

A fonoaudióloga Ana Paula Martin, que vai integrar a equipe da Sala de Audiologia, explicou que os serviços serão iniciados fazendo exames audiológicos nos servidores, logo após o recesso. “Serão realizados três exames que irão medir a acuidade auditiva, a impedanciometria, que colabora com a audiometria e o exame PAC (Processamento Auditivo Central), que avalia o sistema auditivo central”. Ela salientou que, em algumas pessoas, há a escuta normal, mas existe um problema na decodificação do que é ouvido, que causa a desordem do sistema auditivo central.

Após o ato simbólico de inauguração, quando o presidente Evandro e Cristiane Leitão fizeram o corte da fita da sala, os participantes da solenidade percorreram também a Sala de Vacinação e o Núcleo de Fibromialgia, que foram inaugurados recentemente.

Repórter Ceará 

Deixe seu comentário:

Please enter your comment!
Please enter your name here