Home Publicação Grande Fortaleza e a onda de violência

Grande Fortaleza e a onda de violência

Até o início desta quinta-feira, 20, a Grande Fortaleza registrou cinco incêndios a ônibus, totalizando, com os ataques desta quarta-feira, 19, vinte e dois ataques a coletivos. Entre a noite de quarta e esta madrugada, delegacias e um banco foram alvejados com vários disparos de armas de fogo em Maracanaú e Fortaleza.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Ceará (SSPDS), as motivações para os atos de violência estão sendo investigadas, contudo, uma carta deixada no local de um dos incêndios relata que as transferências de presos e mudanças nos presídios são as causas dos ataques.

Um ônibus que fazia a linha Arvoredo/Parangaba, no Bairro Mondubim, foi queimado no início da tarde. Por volta das 8h30min, um coletivo da linha Vila Velha-RioMar Kennedy foi o primeiro a ser incendiado neste segundo dia. Por volta das 9h30min, criminosos incendiaram um coletivo da linha 907 – Castelo Encantado/Centro. Ainda segundo o Sindicato das Empresas de Ônibus (Sindionibus), um veículo foi incendiado no Bairro Mucuripe, e um quarto da Linha Antônio Bezerra/Bairro Padre Andrade.

No quinto ataque de hoje, que ocorreu na comunidade Jardim Fluminense, o corpo de um cobrador cadeirante sofreu queimaduras em 90% do corpo, sendo socorrido de imediato. Identificado como José Nunes de Sousa Neto, de 56 anos, o cobrador foi levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e depois precisou ser transferido ao Instituto Dr. José Frota. No hospital, foi entubado e seu estado de saúde é considerado grave.

Além dos coletivos, cinco carros de empresas distribuidoras de água e energia elétrica também foram alvos de ataques na tarde desta quinta. Por meio de notas, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), afirmou que acionou os órgãos de segurança pública para serem tomadas as medidas cabíveis, e a Enel Distribuição Ceará, informou que repudia atos de violência e acrescenta que os colaboradores da empresa não foram feridos.

Ainda segundo o Sindiônibus, apesar dos ataques desta quinta, não há previsão de retirar os ônibus de circulação novamente.

Até esta manhã, oito homens foram detidos por suspeita de envolvimento nos incêndios. Um deles que já responde por tráfico de drogas, roubo e porte ilegal de arma de fogo, foi preso pelo Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) no Bairro José Walter. O suspeito, que estava armado, foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo, ameaça e organização criminosa.

Repórter Ceará

Deixe seu comentário:

Please enter your comment!
Please enter your name here